Polícia prende acusado de matar mototaxista em Santana - DoAmapá.com Polícia prende acusado de matar mototaxista em Santana - DoAmapá.com

Polícia prende acusado de matar mototaxista em Santana



Luã Gonçalves chegou a lutar contra o criminoso, mas foi estrangulado e morto.

Por Valdeí Balieiro

A Polícia Civil, por meio da 2ª Delegacia de Santana, conseguiu efetuar a prisão do acusado de matar o mototaxista Luã Gonçalves de Matos, de 31 anos. O corpo da vítima foi encontrado, no último dia 24 de dezembro de 2019, em um ramal do bairro Delta do Matapi.

A vítima trabalhava como mototaxista e professor da rede pública. Segundo apontou a delegada, ele estaria perto de defender uma tese de mestrado em Brasília. (Foto: Arquivo pessoal)

De acordo com a delegada Luiza Maia, responsável pela investigação, a hipótese de homicídio foi descartada depois que começou a ser apurado detalhes do crime ficando claro a subtração de objetos pertencentes à vítima.

“Familiares e a classe de mototaxistas da qual a vítima fazia parte procuraram a 2ª DP pedindo providencias”, disse. (Foto: Doamapa.com)

“No primeiro momento foi relatado um suposto homicídio, mas após serem verificados alguns detalhes da subtração do aparelho celular, relógio e da motocicleta da vítima que estava autorizada a trabalhar como mototaxista, inclusive, estava realizando uma corrida tendo o acusado como cliente. Os detalhes nos levaram a trabalhar a hipótese de latrocínio, que é o roubo seguido da morte da vítima”, disse a delegada Luiza Maia.

Durante as investigações do crime, a delegada Luiza Maia recebeu informações de que o suspeito teria fugido para o município de Pedra Branca do Amapari. Segundo ela, foi solicitado apoio da DP do município vizinho que também iniciou o processo de investigação.

Delegado Anterio Almeida e delegada Luiza Maia. (Foto: Doamapa.com)

“Nós intensificamos as investigações para darmos uma resposta sobre o roubo e a morte da forma como foi encontrado o corpo da vítima. Tivemos a informação de que o acusado teria fugido para o município de Pedra Branca do Amapari. Entramos em contato com o delegado de Pedra Branca e, em conjunto, trabalhamos até localizar o latrocida, recuperar os objetos roubados e os receptadores”, afirmou a delegada.

Preso em Pedra Branca

Segundo o titular da delegacia de Pedra Branca, delegado Anterio, as investigações chegaram ao primeiro receptador de um dos objetos da vítima. O celular estava sendo usado por um rapaz que foi preso em flagrante e prestou depoimento revelando onde estava o principal suspeito do latrocínio.

Amigos e colegas de classe se despediram de Luã. (Foto: Arquivo pessoal)

“Dia 9 de janeiro encontramos o rapaz que estaria utilizando celular da vítima. Conduzimos o receptador até a delegacia, realizamos o auto de prisão em flagrante dele e coletamos o seu depoimento. No dia seguinte, chegamos até o latrocida que confessou o crime indicando onde estaria a moto”, comentou o delegado Anterio Almeida.

Em depoimento, o assassino de Luã, que é réu primário, confessou que agiu sozinho e que entrou em luta corporal com a vítima. Durante briga, o criminoso usou e o golpe “mata leão” para imobilizar Luã e, com uma corda, o estrangulou até a morte.

Todos os objetos frutos do latrocínio foram recuperados pela Polícia Civil e serão entregues aos familiares da vítima. Quatro pessoas serão indiciadas pelo crime de receptação, que tem pena de um a quatro anos de reclusão.

Publicado em: 13/01/20


Compartilhe:

Deixe seu comentário